No meio do caminho tinha uma muralha

Tinha não, mas vai ter, porque agora o Bush filho aprovou a construção do que o presidente eleito do México (Vicente Fox Quesada) comparou ao muro de Berlim.

Bom, a Guerra Fria já terminou há bastante tempo. A divisão do mundo entre capitalistas e comunistas já é algo velho, e todos (talvez não todos, mas quase) admitem que isso já é coisa do passado.

Pois é, mas parece que a divisão dos mocinhos contra os bandidos continua. Continua no Iraque, onde os EUA não conseguiram “salvar” o país, que cada vez mais se afunda no caos e na violência; continua em Guantánamo, onde os americanos fazem o que querem com quem bem entenderem, e até a Anistia Internacional já pediu o seu fechamento, sem sucesso (se eles não respeitaram a ONU quando invadiram o Iraque, vão respeitar quem?); e agora, continua na fronteira do México com os EUA. Finalmente mocinhos e bandidos são colocados nos seus devidos lugares.

Quem sabe não fazer um muro desses em toda a fronteira? Fecha o país. Ninguém entra, ninguém sai, que nem no pôquer do Veríssimo.

Beijos nas gurias, abraços pro resto

Deu pra ti

A cada dia acho Porto Alegre mais fascinante. Não só pelas porto-alegrenses, que me fazem apaixonar umas 5 ou 6 vezes por dia enquanto eu ando no centro e me fazem cantar mentalmente “É o meu Rio Grande do Sul, céu, sol, sul, terra e cor…” com um sorriso largo no rosto.

A cidade é surpreendente!

Eu almoço quase sempre num bar/lanchonete da Andradas onde a la Minuta custa R$4,50. E sempre que me sobra uns 10 minutos no intervalo do meio-dia eu saio caminhando meio que a esmo: Casa de Cultura, Praça da Alfandega, Cais do Porto…

Hoje me sobraram 20 minutos, eu fui andando até o início da Andradas, passei pela área militar e cheguei numa praça (pena que nao sei o nome). Uma praça nao! Uma pílula de sossego em meio ao caos, um oásis de tranquilidade dentro da agitação da (bela) Capital.

Fiquei ali, num banco debaixo de uma sombra de uma árvore olhando para o rio e para o Gasômetro, pensando no nada e pensando em tudo, até a hora de voltar. Olhei para o relógio e depois para a Andradas, que se abria espetacular para me acolher. Fim do meu feriado de 20 minutos. Hora de ganhar o pão. O dia já estava ganho.

O roto e os esfarrapados

É como a Hebe xingando a Ana Maria ‘Brega’ de perua, o Bam-Bam (lembram dele?) chamando a Carla Perez de burra, ou o Romário dizendo que o Cafu é velho demais pra jogar. Mas ele pode.

Alguém que fez My Generation, Substitute e Pinball Wizard, pode tudo. Alguém discorda?!

Beijos nas gurias, abraços pro resto.