Na Turquia é só alegria!

Massa venceu o GP da Turquia, hoje pela manha. Correu muito bem a prova toda. Hamilton largou bem e colou no brasileiro a primeira parte da prova toda, porém com menos combustível. Hamilton ficou em segundo, com uma parada a mais e uma média de 1 segundo mais rápido por volta na primeira parte da prova.

Valeu Massa!! Agora o brasileiro está com 28 pontos, contra 35 pontos de Kimi Raikkonen, também da Ferrari, líder do campeonato. Mas o mais legal desse final de semana (fora pra um animal, óbvio!) aconteceu na GP2.

Bruno Senna, que largou em 15º na prova, fazia uma prova espetacular quando, na décima volta, já em 6º,… huahuahauhauhauhua…. deixa que o próprio piloto explique:

“Eu estava com um carro bom, fazendo uma grande corrida, mas infelizmente apareceu um cachorro no meio da pista. Isso é uma coisa inimaginável em um evento que também conta com a F-1.”

Tadinho do animal! Só queria achar um bom lugar pra ver a corrida de Fórmula 1. Ele só não achou a faixa de patadestres, seu bando de barbeiro sem respeito!!!!

Abraços
Bruno

Espanha


O GP de Barcelona, que não fica em Barcelona, mas petinho, começa nesse domingo às 9 horas da manhã, horário de Brasília.

Se tu não quiser ver a corrida, pois ela é típicamente chata, saiba que o Pole é o finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrari. Normalmente o Pole é o vencedor da corrida, porque ninguém consegue ultrapassar ninguém nesse GP. Fernando Alonso, com bem pouquinha gasolina, conseguiu posicionar a Renault em segundo. Ele fez isso pra ver se amanhã enche de gente no circuito, já que nos últimos 3 anos ele sempre esteve brigando pela vitória e neste ano ele não vai conseguir. Pelo menos é o óbvio. E é por isso que venderam menos ingressos esse ano, já que Alonso é o único Espanhol (na real ele não é daquela região ali, e lá eles são tipo a gente, “mais gaúchos do que brasileiros”, mas enfim, é de perto..) na corrida.

Bom, acho que muitos vão ler esse post só depois da corrida, mesmo assim, o recado tá dado. A Ferrari tá melhor que a “rapa”. Depois vem a BMW e a McLaren. E só depois o resto.

De especial, o Rubinho vai completar um caralhão monte de GPs largados e se igualar ao Ricardo Patrese. Acho que é a notícia mais interessante desse GP.

PS: AAhh!! Foi num GP da Espanha que o Senna venceu o Mansell em 1986, por 0,014 segundos. Show né! Mostraram isso no intervalo do treino hoje. Mas a corrida foi em Jerez De la Fronteira. Se não me engano, em 1997, no treino, 3 carros fizeram exatamente o mesmo tempo também. Um deles foi o Frentzen… Baita curiosidade!!

Boa prova a todos!

De ponta a ponta

A Ferrari comandou de ponta a ponta a corrida deste domingo, no Bahren. Felipe Massa acelerou tudo que podia logo na largada e nem viu o pole Kubica pela frente. Massa liderou de ponta a ponta. Kimi Raikkonen, como um ótimo piloto que é, seguiu Massa por toda a prova, da mesma maneira que o fez no último GP, na Malásia. Desta vez, porém, Massa não deixou o seu companheiro se aproximar e após duas paradas de boxes manteve a ponta da prova. A Ferrari sobrou na pista e mostra que o carro está mais redondinho do que os pontos que a equipe tinha até então representavam. Venceu com dobradinha. A BMW veio logo atrás.

(Ok! Agora o que eu acho).

Esse foi um final de semana muito bom para a Ferrari mesmo. Correu mais do que as demais. Felipe Massa foi o piloto mais rápido nos testes e na prova, tendo o controle dela do início ao fim. Apesar disso, não é algo “descomunal” a distância que Raikkonen (2º) abriu para Robert Kubica (3º) durante a prova. Ok, é preciso descontar o fato de que a prova já parecia resolvida após a segunda parada de abastecimento, porém acredito que o carro da BMW evoluiu pra caramba do ano passado pra cá.

Em 1997, Jacques Villeneuve foi campeão do mundo sobre Michael Schumacher, quando este tentou jogar seu o carro pra cima da Williams do canadense e causar uma quebra dos dois, sem sucesso. No final daquela prova, Jacques, então campeão, foi erguido pelos outros dois pilotos que completaram o pódium: David Coulthard e Mika Hakkinen, ambos da McLaren e com Hakkinen ganhando sua primeira corrida. O final daquela temporada mostrou que a McLaren estava “cheirando” a evolução para 1998, pois era a terceira força em 1997 (atrás da Williams e da Ferrari). A McLaren entrou o ano abrindo uma, aí sim, “descomunal” vantagem para a Ferrari, enquanto a Williams só afundou.

A BMW está num crescente muito bom este ano, mas não parece ser neste ano que ela vai superar as rivais. Entretanto, hoje, já é líder do mundial de construtores e acredito que tem tudo para brigar pelo vice campeonato este ano, e não contentar-se com o terceiro posto.

Quanto a McLaren, no Bahren, esteve absolutamente sem sorte, mas não me atrevo a dizer que ela está pior que a Ferrari. Acho o carro da McLaren muito bom, porém Lewis não tem a mesma sorte este ano como no ano passado e, para muitos, sem Alonso na equipe, o carro tende a piorar… Pode ser, mas o carro não é ruim mesmo. Ainda.

Acho que a briga entre as três será muito boa este ano. E parabéns para nós brasileiros que podemos acordar no domingo para ver o Brasil vencer de novo da Fórmula 1.

Abraços.

Beem amigos da Rede Glooobo…

O Jornal Corriere della Serra, da Itália, está fazendo uma enquete para saber quem é considerado o maior piloto de F1 de todos os tempos.

Vote!! Se quiser uma opinião, vote no Senna… =)
http://www.corriere.it/appsSondaggi/pages/corriere/d_96.jsp

……

2008 começa para uma fórmula 1 diferente! Para aqueles que não ficaram a madrugada do sábado passado assistindo ao GP da Austrália eu digo: sinto muito. Já faz tempo que um GP não trazia emoção como aquele (e eu não quero encher a bolinha de coisa pouca não, como o Galvão faz com jogo da Seleção). Se agora eu não estou enganado, foram 7 carros que terminaram a prova. 22 largaram. 1 foi desclassificado por fazer cagada (quem? quem? quem?… ah!! sim, ele mesmo, não preciso dizer..).

Mas não é pelo número menor de carros que completa uma corrida que ela é legal. Se bem que se você concorda com o meu avô, que diz que as pessoas assistem à corrida para ver as batidas, até pode ser. Mas este ano os pilotos estão é sofrendo para acelerar, o que são obrigados a fazer, então fica emocionante. Explico.

Você já jogou algum desses joguinhos de Fórmula 1? Se sim, experimente ir nas configurações do carro e tirar a opção “controle de tração”, se for no GP4 (e os anteriores da série também) é clicar F8, ou F7, não lembro, mas ele é representado no painel assim “[ ]“. Quando tu enfia o dedo no botão de acelerar, com o carro parado, e PENSAR em girar o volante, o mundo vai virar do avesso.

Controle de tração é bem isso. Ele controla a aceleração do carro pra não girar em falso (ou seja, não sair cantando pneu). Quando o carro sai cantando pneu e tu tira ele da linha reta, ele vira muito rápido e não dá pra controlar, então ele roda.

No GP de Melbourne, dava pra perceber o quanto os pilotos brigavam com o carro pra acelerar na saída das curvas de baixa velocidade, virando a direção para os dois lados pra evitar sair do traçado. Esse controle de tração, que vem desde 2002 na F1, fez o pessoal desaprender a pisar no acelerador. O controle corrigia o “pisão” do cara. Agora não mais.

Ontem à noite, com os olhos quase fechando, assisti ao treino classificatório do GP da Malásia que terá largada nesta madrugada às 4 da manhã. Vi a mesma coisa que vi no GP anterior. O carro do Alonso saía das curvas e ele virava a direção pra tudo quanto era lado pro carro não sair do traçado, era uma briga com o volante (como se o cara quisesse tirar ele fora e ele não estivesse saindo). Me lembrei das corridas em que aparaceia a imagem da camera on-board do Schumacher e ele fazia as curvas tão facilmente que talvez pudesse fazer com um dedo só.. Isso não dá mais. A cada imagem de camera on-board a gente fica colado na imagem porque vê o carro balançado nas curvas, quase saindo do controle do piloto, e isso é que trás emoção à corrida.

O Massa e o Raikkonen continuam parecendo muito parelhos. O Massa parece que briga um pouco mais com o carro, mas sempre me pareceu mais arrojado que o campeão. O Hamilton, mesmo novato, não parece balançar tantos nas curvas, por isso eu acho que a McLaren tem algum acerto melhor no carro, que deixe ele mais colado no chão. Kubica, da BMW, é mais rápido que o companheiro Heidfeld, mas Heidfeld é mais constante e consegue fazer mais pontos menores, o que ajuda no final do campeonato. A Williams, tadinha, só tem o Rosberg, porque o japa companheiro dele só aparece na TV saindo do carro, logo no início dos treinos. A Honda melhorou um pouco esse ano, junto com a Toyota. A Renault piorou. Acho que o Alonso está classificando bem demais o carro, com tanta briga com o volante..

Nesta última madrugada, Felipe Massa fez a pole. Mas durante o treino, Raikkonen foi mais constante (e o que fez a melhor volta do treino, com carro leve). Massa acertou a volta mesmo só no final, durante o treino, fazia ótima parcial no início da volta e perdia no fim dela. E a McLaren também dá pinta de vir mais pesado pra prova (os carros já fazem a volta do treino com a gasolina da corrida, por isso fazer uma volta ruim no treino pode ser uma pista de menos paradas nos boxes durante a prova), pois o melhor de seus carros ficou 1 segundo atrás da pole. Mas a McLaren já deu umas voltinhas com os pneus mais duros (que é obrigada a usar na prova) e um pouquinho de desgaste já vai ajudar na aderencia durante a prova. Apesar dos pesares, acho que a McLaren está melhor acertada, é só uma impressão.

Antes da última corrida eu vi uma enquete que perguntava quem iria vencer a corrida da Austrália e a galera votou 75% no Massa, eu tinha votado no Hamilton, “impressão” também, e acertei.

Boa prova pra quem acordar as 4 da manha!!

A vantagem do cavalo é o focinho!

Ok, faz horas que eu não falo de fórmula 1, também ninguém aqui tá afim de ler a mesma coisa que encontra escrita em tantos outros lugares, ainda mais que não tem brasileiro na briga este ano. Buenas, mesmo assim, fiquei eu imaginando o GP Brasil depois daquelas lambanças que foram os últimos 2 GPs. Depois de um ano inteiro sem problemas, a McLaren perdeu os pontos no tribunal e o céu virou inferno pra equipe inglesa. Fora da disputa pelos construtores, os pilotos se acham agora no direito de fazer “o que der na telha” pra ganhar o campeonato de pilotos. Isso quer dizer que a McLaren deixou de ser uma equipe para transformar-se em duas, absolutamente opostas.

É óbvio que o GP Brasil vai ser uma droga. Os pilotos estão juntos na pontuação, mas eu ainda acho que Hamilton tem muito mais sorte que os demais. Acho que o GP Brasil vai ser monótono e o Hamilton, com algum segundo ou terceiro lugar, deve levar o título.

Mas, se fosse eu quem escrevesse o roteiro desse último GP, eu o faria bem assim:

(…)
Buenas, Lewis Hamilton chega ao Brasil pressionado pela imprensa que já o vê como campeão há umas 3 ou 4 corridas. Logo na superpole, nos treinos, dá uma escapada de pista um tanto inexplicável na subida pro
laranjinha, o que o faz largar numa humilde 8ª posição.

Sem querer tomar conhecimento dos adversários, Fernando Alonso, voa dentro do circuito com sua McLaren, entretanto, como a equipe ajuda mais o “companheiro” de equipe do que ele, o seu melhor resultado é um 3º lugar na largada. Na frente as duas Ferraris, com Massa na pole, para delírio da galera, e Raikkonen em segundo.

Vamos para a largada!! Largando por fora na curva, Massa poderia passar em primeiro, mas é óbvio que quem passa na frente no S do Senna é Raikkonen. Hamilton no meio dos outros carros e pilotos meia boca (tipo o Rubinho, tá ligado?), está suando para passar por ali, conseguindo no máximo uma posição, é sétimo. No fim da primeira volta, estamos com Raikkonen fazendo 10 pontos e indo pra 110, Alonso fazendo 6 e indo para 109 e Hamilton fazendo 2, indo pra 109 também.

O tempo vai passando e Raikkonen dispara. Massa segura o Alonso até que o espanhol adianta a parada pra sair daquela encrenca. Massa está mais pesado que os outros. Raikkonen pára e volta em segundo, mas Alonso vem voando com um carro bem acertadinho e em poucas voltas chega perto de Raikkonen. Massa, o então líder, pára e volta em terceiro. Hamilton já é 5º, mas o 4º é o Heidfeld, com a BMW, que não vai entregar a posição barato!

Depois da metade da prova, Alonso está colado em Raikonen e, após a segunda troca de pneus, ainda frios, ele “ginga” pra cá e pra lá e passa Raikkonen. Mas Massa ainda não parou. Agora, Massa é líder, mas ainda tem que parar, Alonso é segundo e está subindo pra 111 pontos. Raikonen é terceiro e sobre pra 106. Hamilton é quinto, fazendo 111 também. O campeonato é da McLaren, não tem jeito…

… Espere!!! Começou a chover!!! Nossa, e agora?

Massa, na sua vez de parar, entra nos boxes e põe os pneus certinhos (por milagre!!). a McLaren manda Hamilton ficar uma volta a mais que os demais na pista, pois ele precisa sair de trás do Heidfeld, e nem tá forte a chuva assim… Quando ele sobre pro laranjinha de novo, a chuva desaba, todos estão nos boxes trocando os pneus. Ele desce o pinheirinho beeeeem na mânha, faz o bico de pato e quando entra na junção, pra pegar a subida da reta, naquela curvinha FDP que o Senna derrapou no único GP que ele fez no Brasil com a Williams, em 1994, é ali que o Hamilton passa reto. Aquilo tudo já está uma nuvem só, não dá pra ver nada na frente e o cara dá um 180º.. fica ali até que resolve sair e o Ralf Schumacher, que não perde uma boa “pechada”, acerta ele no meio, sem piedade, sem ver nada na frente!!

É um dilúvio, vem ali do lado da represa!!

Os outros todos vão parando e com isso Felipe Massa deu uma tremenda sorte e ficou na frente! Mesmo assim, o carro dele não é o melhor na pista e Alonso e Raikkonen vão chegando. Sim, faltam 10 voltas e o Alonso, seguido pelo Raikkonen, vai tirando 1 segundo por volta do Massa. Incrível, quando faltam 5 voltas pro final o Galvão Bueno, que ficou uns 20 minutos dizendo que o Felipe Massa devia estar com “problemas hidráulicos” (o que não explica nada), se toca que a Ferrari pode estar pedindo pro Massa segurar..

É claro!! Se o Raikkonen ganha e o Alonso fica em terceiro, a Ferrari leva! Última volta, Alonso, em segundo, entra voando em Massa, que faz o S do Senna beeeeem na mânha, segurando o que dá. Raikkonen vai começando a colar em Alonso também.. Nossa, os três estão descendo a curva do pinheirinho juntos!! Após o bico de pato, Alonso ataca na descida da junção, “ginga” pra cá e pra lá, até que vê uma brecha por dentro daquela mesma curva que o Hamilton rodou. Massa fecha, Alonso ainda tenta o X e vai por fora, Massa o espreme em cima da zebra, os dois quase tocam. Com essa balançada, enfim acontece aquilo que eu tentei dizer ali em cima, Raikkonen põe o carro por dentro e começa a subida na frente, seguido por Massa e Alonso, esse último por fora. Raikkonen vai bem pelo lado de dentro, tentando cortar caminho, na “pontinha dos dedos” (parece que vai entrar nos boxes!!!), Alonso pega o vácuo de Massa na entrada da reta, ele precisa do segundo lugar, se não perde o título pra Raikkonen, que vencendo, soma 4 pontos a mais e será campeão no desempate, pelo número de vitórias. Eles vão chegando, os 3, quase um ao lado do outro. Alonso pegou o vácuo de Massa, colocou pro lado, da TV se enxerga Alonso, Massa e Raikkonen, da esquerda pra direita, todos lado a lado, Alonso entrou mais rápido, vai passar o Felipe antes da chegada, vai passando, o bico da McLaren tá na mesma linha do capacete da Ferrari de Massa, vai passando, vai passando, caraaAALEEEO!! ..passou Raikkonen em primeiro, mas Felipe e Alonso passaram muito colados!! Não deu pra ver!! Bota o Replay!! Se ele passou, ele é campeão, se não passou, ganha o piloto da Ferrari!!

BOTA O REPLAY CARAAAALHOOOOOOO!!!

Toques…


O ano é 1989. O GP é no Japão. Suzuka. Alain Prost é o líder do campeonato e Ayrton Senna é o vice-líder. Ambos da McLaren. Não vou falar dos pontos de cada um pois naquela época nem todos os pontos do campeonato valiam para a classificação geral. Durante aquela prova, Senna, mais veloz, busca a ultrapassagem sobre Prost na penúltima curva, pelo lado de dentro da curva. Prost, percebendo que Senna passaria e venceria a corrida, conquistando o mundial, joga o carro pra cima de Senna. Os dois carros passam reto pela curva. Prost pára, mas Senna consegue seguir com um “empurrãozinho” dos fiscais e faz os pontos que precisa. A federação anula o resultado de Senna, manda ele calar a boca e dá o título para Prost, o “criador” da lambança.

O ano é 1994. O GP é na Austrália. Adelaide. Começa o GP. Schumacher tem 92 pontos. Hill, 91. Meados da prova, Damon Hill busca a ultrapassagem sobre Schumacher. Schumacher fecha todas as portas. Ele sabia que se Damon Hill ultrapassasse, seria campeão. Sem espaço melhor, Hill tenta uma ultrapassagem pelo lado de dentro da curva, num espaço mínimo. Schumacher, instintivamente, não freia e finge que não ve aquele carro ali. O carro de Schumacher voa pra fora e o de Damon Hill segue na pista. Algumas voltas depois ele pára e vê a barra que segura o pneu quebrada. Enfim. Quem riu por último foi Schumacher, o “criador” da lambança.

Agora me diz: se duas vezes, DUAS VEZES, valendo o título, as cagadas propositais dos pilotos foram consentidas pela federação da F1, que argumentos tem o Fernando Alonso para querer por o dedo no nariz do Felipe Massa que mal e mal encostou o carro dele na McLaren do Alonso, numa disputa embaixo de chuva, sem intenção, numa ultrapassagem por fora, pois Massa parecia estar seguindo o traçado normal e, se não estivesse, seria normal “espalhar” um pouco na saída da curva nestas condições? Quem que ele pensa que é??

Já não ia com a cara dele, agora eu to torcendo por dois pilotos este ano, o Massa e o Hamilton. Eu dava um murro na cara dele e beijava a camera depois com um sorrisão no rosto. Já pensou? Alonso vibrando no “pódium” com o olho roxo.. Espanhol cara de c*.

……

Massa largou super bem hoje. Pulando pra segunda posição. Com as mudanças do tempo, logo já era o líder. Liderou com folga a corrida. Alonso, em segundo, ameaçava diminuir a diferença e logo Felipe Massa sentava o pé direito no pedal.. Tava fácil, fácil… Alonso lembrava até o Barrichello… Até que faltando 8 voltas para o final começou a chover.

Nos boxes, Felipe e Alonso trocaram de pneus, mas a McLaren fuçou na Asa Dianteira do carro de Alonso, colocando mais resistência ao ar nela, fazendo o carro ficar mais “colado no chão”. Assim, o carro ficou mais fácil de guiar, porém menos rápido. Como, naquela chuva, velocidade não importava muito, Fernando Alonso colou em Felipe Massa até conseguir achar um espaço duas voltas depois da parada, passando pelo lado de fora na curva. Eles deram até uma encostada de leve. Foi bonito mesmo ver a briga. No final, Alonso ganhou de presente a prova que já estava perdida antes da chuva e da “fuçada” na Asa Dianteira. E comemorou como um perdedor. Gritou como se fosse uma baita glória sua e reclamou do que não fez diferença.

Superou o Galvão. Aliás, o Galvão nem falou tanta bobagem hoje. Pelo menos nada grosseiro. Alguém arrisca um comentário?

Abraços
Bruno